História

Desde 1881

alberguesnocturnos90054.jpg

A 1 de Dezembro de 1881, a Associação dos Albergues Noturnos do Porto surge da iniciativa do então Rei de Portugal D. Luíz I; este, contou para o efeito com o generoso e inestimável apoio e contributo do Bispo do Porto, Cardeal D. Américo, bem como de toda a elite da sociedade portuense da época. O pensamento do Rei era o de criar, à imagem do que já havia sucedido em Lisboa, uma Associação destinada a prover gratuitamente o bem-estar a todo o Homem que a procurasse, independentemente da sua origem, raça, credo ou situação social, desde que este se encontrasse sem recursos que lhe permitissem uma subsistência condigna. Esta intenção foi de imediato acolhida por todos os presentes que se disponibilizaram a colaborar entre si para concretizar a ideia e vontade que perdura até aos dias de hoje, perfazendo já 14 décadas de existência.

1881

Constituição da Associação dos Albergues do Porto por iniciativa do Rei D. Luiz I.

1890

Mudança de instalações da Rua de Sta. Catarina para o Bairro da Vitória permitindo um aumento significativo da capacidade de resposta para 25 camas.

1903

O aumento significativo de mais pessoas necessitados levou a mais uma mudança de instalações. Nova morada dos Albergues passa a ser a Rua dos Mártires da Liberdade - local onde permanece até aos dias de hoje. Com 30 utentes o serviço passa a incluir para além da dormida o serviço de pequeno-almoço, jantar e banhos.

1912

Por decisão da Assembleia foram comprados 2 edifícios da Rua dos Mártires da Liberdade com a herança de 10 contos deixada a esta associação por um dos sócios fundadores – Arnaldo Ribeiro de Faria.

1921-1950

A partir dos anos 30 e por efeito direto da 2ª Guerra Mundial as necessidades de resposta  que até esta altura se situavam nas 10.000 pessoas/ano duplicaram. A partir de 1942 os Albergues passaram a receber para além de homens e mulheres (total de 65 camas), também famílias com crianças menores.

1950-1990

Em 1983 a Associação dos Albergues Noturnos do Porto passam da denominação de pessoa coletiva de entidade pública para denominação de Instituição Particular de Solidariedade Social – IPSS. 

Em 1990 , reflexo de uma modernização que se impunha é contratada a 1ª Técnica de Serviço Social marcando uma mudança de paradigma de um serviço meramente assistencialista para uma resposta interventiva de reinserção social.

1991-2000

Em 1997 é celebrado 1º Acordo de Cooperação atípico com Segurança Social como CAT- Centro de Alojamento Temporário.

 

A 9 de Fevereiro de 1998 é constituída uma Equipa Técnica de Reinserção Social composta por  técnicos de diferentes especialidades - Psicologia, Sociologia, Medicina de Clínica Geral e Serviço Social.

 

Ainda em 1998 foi aberta uma segunda unidade de alojamento próxima da estação de Campanhã passando o número de camas para 82 e totalizando uma média anual de 21.500 dormidas. 

2008

Renovação de acordos de cooperação

com 4 refeições diárias.

Criação de um Ateliê Ocupacional ALBERG’IN - atividades grupais de cariz ocupacional, terapêutico, pedagógico e lúdico, adequadas aos diferentes estados de motivação e capacidade das pessoas.

2010

Celebração dos 125 anos da instituição com a edição do livro “Vidas à Parte”. Passado, Presente e Futuro” retratando a história, o funcionamento e os projetos para o futuro.

Realização do 1º Congresso organizado pela Associação sob o tema "Exclusão Social – A População Sem-Abrigo" – onde entre as inúmeras apresentações foi exposto o Modelo de Intervenção Multidisciplinar em vigor na Instituição.

2011

Contratação de antigos utentes como colaboradores (32% colaboradores), garantindo um ciclo virtuoso positivo com base na aplicação do conceito row model.

Estabelecimento protocolo de cooperação com o ISS para a implementação do Serviço de Apoio Alimentar à Comunidade que entra em vigor no ano seguinte.

2013

Implementação de negócio social com o Projeto Cogumelo Solidário na Quinta Paço de Sousa – outro terreno da associação onde se produzem produtos agrícolas para consumo dos Albergues.

2018

Inauguração das obras de reabilitação do Albergue da Sede com alargamento de resposta de alojamento para 75 utentes.

2022

Atualmente mantêm-se em funcionamento 2 Centros de Alojamento Temporário com 97 utentes/dia, distribuição de refeições via Plano de Emergência Alimentar a cerca de 70-80 utentes/dia.

Inauguração da Galeria ALBERG’ART com 1ª exposição de fotografia “Luz do Porto”.

Lançamento nova marca – Albergues do Porto –  uma marca mais clara que comunica melhor a Casa que somos e o que queremos ser  e fazer nos próximos anos.